Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
3

Facebook fecha contas de influencers com informações anti-vacina Covid

Empresa de marketing baseada na Rússia pagava a influencers para denegrir vacinas contra Covid-19.
Adriana Alves e Cátia Pereira de Sá 11 de Agosto de 2021 às 18:15
Facebook
Facebook FOTO: Vítor N. Garcia
Foram encontradas 65 contas de Facebook e 243 do Intagram ligadas à Fazze, uma empresa de marketing que trabalhava para um cliente não identificado. A rede usava contas falsas para disseminar informações que tinham como objetivo pôr em causa a segurança das vacinas da Pfizer e AstraZeneca. Uma das publicações, por exemplo, dizia que a vacina da AstraZeneca transformaria uma pessoa num chimpanzé. 

O Facebook já removeu as centenas de contas da agência de marketing que operava a partir da Rússia. As contas tinham como alvo audiências na India, América Latina e, numa menor extensão, os Estados Unidos, utilizando para isso várias redes sociais. 

A Rússia tem usado ativamente campanhas de marketing para promover no exterior a vacina Sputnik V, contra a Covid-19. Os representantes do Facebook não especularam sobre a possível motivação por trás da campanha.

A rede Fazze também contactava influencers digitais de vários países, oferecendo pagamentos se estes republicassem o conteúdo disseminado. No entanto, o esquema falhou quando influencers na Alemanha e França expuseram a oferta a rede. Para além de remover as contas da rede, o Facebook baniu a empresa da plataforma. 

Os esforços da Fazze não tiveram muito impacto online, algumas das publicações nem chegaram a ter uma única resposta ou reação. Porém, Nathaniel Gleicher, o chefe de segurança do Facebook, refere que a campanha chamou a atenção pela tentativa de usar influencers. "Apesar de descuidada e da falta de alcance foi um esquema muito elaborado", afirmou numa conferência esta terça-feira.

Os investigadores do Facebook disseram que alguns influencers chegaram a postar o material, mas apagaram-no mais tarde quando começaram a surgir histórias sobre a ação da Fazze. 

Rússia Facebook AstraZeneca Intagram Pfizer marketing vacinas
Ver comentários