Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Marcha lenta contra exploração mineira em Montalegre

População da zona do Barroso saiu à rua em protesto contra a exploração de volfrâmio.
Francisco Manuel 9 de Agosto de 2021 às 08:52
Marcha lenta envolveu mais de uma centena de tratores e automóveis
Marcha lenta envolveu mais de uma centena de tratores e automóveis
Marcha lenta envolveu mais de uma centena de tratores e automóveis
Marcha lenta envolveu mais de uma centena de tratores e automóveis
Marcha lenta envolveu mais de uma centena de tratores e automóveis
Marcha lenta envolveu mais de uma centena de tratores e automóveis
Dezenas de habitantes da zona do Barroso, Montalegre, fizeram este domingo ouvir vozes e buzinas contra a exploração de volfrâmio projetada para a aldeia da Borralha, na freguesia de Salto. A marcha lenta que envolveu mais de uma centena de viaturas, entre carros, motociclos e tratores, atravessou as aldeias que serão afetadas pela exploração mineira.

Nas mãos, ou nas viaturas, os cartazes dos manifestantes eram bem claros: “Não às minas, sim à vida”; “Borralha sim, minas não”; “Verde é o segredo” e “Minas aqui nunca mais”.

“Temos de mostrar o nosso descontentamento e temos de lutar contra a mina porque estou a ver a minha vida a andar para trás”, afirmou Lurdes Frutuoso, que vive com o marido junto à Brecha de Santa Helena, na Borralha, perto do local para onde está prevista a mina, onde a empresa Minerália quer explorar volfrâmio. “Eu e o meu marido trabalhámos tanto para construirmos aquela casa para agora termos um fim de vida condigno e vão-me por à porta máquinas a fazer barulho, pó, lamas”, adiantou.

“O objetivo é travar o pedido de concessão feito pela Minerália, juntamente com todos os pedidos de prospeção que existem aqui na freguesia e em toda a região”, explicou Cristiana Barroso, do Movimento Não às Minas - Montalegre, um dos organizadores da iniciativa. Contestada é, também, a mina do Barroso, na área das freguesias de Dornelas e Covas do Barroso. O projeto da Savannah Lithium prevê uma exploração de lítio e outros minerais a céu aberto, com área de concessão prevista de 593 hectares. 


Ver comentários
}