Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Informações meteorológicas das 18 estações na AMLisboa devem estar disponíveis em novembro

AML anunciou a instalação, até ao verão, de estações no âmbito de um projeto para reduzir a vulnerabilidade da região às alterações climáticas.
Lusa 12 de Agosto de 2021 às 17:32
Sol
Sol FOTO: Getty Images
As informações meteorológicas das 18 novas estações que estão a ser instaladas em cada um dos municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML) devem estar disponíveis "a partir do início de novembro", revelou esta quinta-feira a entidade intermunicipal.

No início de fevereiro, a AML anunciou a instalação, até ao verão, de estações para monitorizar a meteorologia nos seus 18 municípios, no âmbito de um projeto para reduzir a vulnerabilidade da região às alterações climáticas.

Em comunicado esta quinta-feira divulgado, a entidade intermunicipal adiantou que se prevê que "as informações meteorológicas provenientes das 18 estações estejam disponíveis a partir do início do mês de novembro".

Designado CLIMA.AML - Rede de Monitorização e Alerta Meteorológico Metropolitano, o projeto tem como objetivo a "criação de uma solução integrada para a monitorização meteorológica em contexto urbano".

Além da criação de uma rede metropolitana de 18 estações meteorológicas, uma em cada um dos municípios que integram a AML, o projeto inclui a instalação de nove microssensores de medição urbana e "uma plataforma 'online', que analisará todos os dados e informações essenciais de suporte à monitorização e avaliação dos dados meteorológicos".

"As estações meteorológicas medirão, em tempo real, temperatura, precipitação, humidade, pressão atmosférica, vento, direção do vento, radiação solar e radiação ultravioleta", referiu a entidade intermunicipal.

De acordo com a AML, a recolha e disponibilização de dados meteorológicos à escala metropolitana vai permitir "monitorizar a evolução dos impactos e eventos resultantes das alterações climáticas, os quais, progressivamente, se têm vindo a registar com maior intensidade na área metropolitana de Lisboa".

Esta rede da AML funcionará em complementaridade com a rede do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), organismo que teve de identificar os locais exatos para a instalação das estações em cada um dos 18 municípios.

Segundo a AML, o CLIMA.AML dá sequência ao Plano Metropolitano de Adaptação às Alterações Climáticas, apresentado publicamente em dezembro de 2019, e "permitirá acumular um vasto conhecimento" com a recolha e disponibilização de dados meteorológicos à escala local.

Desenvolvido no âmbito do programa Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono, o projeto CLIMA.AML é operado pela Secretaria-Geral do Ambiente e da Ação Climática e financiado pelos programas EEA Grants 2014-2021.

Fazem parte da AML os municípios de Almada, Alcochete, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Oeiras, Odivelas, Palmela, Mafra, Moita, Montijo, Seixal, Sintra, Sesimbra, Setúbal e Vila Franca de Xira.

SSM (RCS) // VAM

Lusa/fim

Ver comentários