Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Calor extremo deixa 14 distritos em alerta com termómetros a ultrapassar os 40 graus

Évora, Beja e Castelo Branco deverão ser os distritos mais quentes durante este sábado. Conheça as interdições impostas.
Francisca Genésio 14 de Agosto de 2021 às 08:07
Calor levou dezenas às praias
Fumar ou fazer lume em espaços florestais não é permitido
Calor levou dezenas às praias
Fumar ou fazer lume em espaços florestais não é permitido
Calor levou dezenas às praias
Fumar ou fazer lume em espaços florestais não é permitido
Está declarada a situação de alerta até às 24h00 de segunda-feira. A decisão do Governo, anunciada esta sexta-feira, resulta da previsão de altas temperaturas e vigora em 14 distritos: Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu. Durante este período, são adotadas medidas com caráter excecional como a proibição de acesso a florestas, bem como caminhos rurais, o que impede atividades como a caça e a pesca lúdica. 

O calor extremo deixa a generalidade do território nacional em risco muito elevado e máximo para incêndios - esta sexta-feira eram mais de 70 os concelhos em risco máximo, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Entre sábado e domingo o cenário deverá piorar. Para este sábado, a previsão aponta para que o distrito de Évora seja o mais quente, com 43 graus. Mas há mais pontos acima dos 40 graus: Beja (42°C) e Castelo Branco (40°C).

Praticamente todo o território registava esta sexta-feira temperaturas acima dos 30 graus. Em vários locais do Interior foram atingidos mais de 40 graus: Castro Verde registou 42,3°C. No topo das localidades mais quentes ontem seguiram-se São Pedro do Corval (42°C), em Reguengos de Monsaraz e Elvas (41,6°C). Registo de calor também no Norte e Centro, com a Aldeia do Souto, na Covilhã, e Mirandela a chegarem aos 40,5°C . Já Lisboa ficou-se pelos 34,8°C e o Porto não passou dos 25,7°C.

Para aguentarem as elevadas temperaturas, milhares de portugueses têm-se refrescado, nas zonas balneares, esgotando a lotação de dezenas de praias. A situação de alerta prevê maior grau de prontidão da GNR, PSP, e das equipas de saúde e apoio psicossocial. Forças Armadas e os Sapadores Florestais estão mobilizados em permanência.

A vaga de calor ocorre depois de julho ter sido considerado mais quente em todo o Mundo desde 1880, ano em que a Agência Norte-americana do Clima NOAA iniciou os registos da temperatura global.

Queimadas estão proibidas
É proibido fazer queimadas extensivas ou de amontoados sem autorização, usar fogareiros ou grelhadores em todos os espaços rurais, bem como fumar ou fazer lume em área de floresta.

Não se pode lançar foguetes
É proibido lançar balões de mecha acesa ou foguetes e até mesmo fazer trabalhos na floresta que possam originar faíscas. Não se pode também cozinhar em espaços rurais não autorizados.

Viajar nas horas de menos calor
Durante este fim de semana, não se esqueça do protetor solar (fator 30 no mínimo) e evite a exposição direta ao sol, principalmente entre as 11 e as 17 horas. Escolha as horas de menos calor para viajar.

pormenores
Extração de cortiça e mel
A extração de cortiça e de mel, por métodos manuais, fica de fora das proibições, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação.

Risco com máquinas
De acordo com o Governo, é proibida a realização de trabalhos “com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal”.
Ver comentários