Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

PSP nega ter autorizado polícia a candidatar-se às autárquicas e abre inquérito

Pedro Magrinho é chefe na Divisão de Sintra e vai apresentar-se nas listas ao concelho de Loures do partido Chega.
Miguel Curado 19 de Agosto de 2021 às 14:30
A carregar o vídeo ...
PSP nega ter autorizado polícia a candidatar-se às autárquicas e abre inquérito

A PSP nega que a Direção-Nacional daquela polícia tenha autorizado Pedro Magrinho, um chefe que presta serviço na Divisão de Sintra, à presidência da União de Freguesias de Bobadela, São João da Talha e Santa Íria de Azóia, em Loures. "Não compete à PSP autorizar ou proibir os seus polícias a candidatarem-se a eleições autárquicas ou legislativas", refere um comunicado das relações públicas da corporação. 

"A Lei eleitoral dos órgãos das autarquias locais (Lei Orgânica n.º 1/2001, de 14 de agosto) proíbe que os polícias na situação de ativo (ao serviço efetivo) sejam candidatos a órgãos do poder local", refere o citado comunicado. Assim sendo, e "atendendo a que o mesmo [Pedro Magrinho] se encontra, à data de hoje, ao serviço ativo (serviço efetivo), a PSP irá instaurar um inquérito para averiguar as circunstâncias acima referidas".

O elemento policial vai apresentar-se nas listas ao concelho de Loures do partido Chega.

Segundo Pedro Magrinho explicou, o pedido para a candidatura foi feito à PSP com o compromisso da "apresentação de uma licença sem vencimento durante um mês, 1 a 30 de setembro, para a participação na campanha autárquica".

As listas do Chega, com o nome de Pedro Magrinho, foram igualmente deferidas pelo tribunal de Loures.

Ver comentários