Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Praticante de tiro tinha arsenal nos galinheiros

Um homem de 30 anos, praticante federado de tiro, e empresário da construção civil, foi ontem detido pela GNR de Setúbal. Os militares, na posse de um mandado de busca, encontraram na casa do suspeito, nos arredores de Palmela, um autêntico arsenal com dezenas de armas de fogo e ainda mais de seis milhares de munições de diversos calibres. Algum do material apreendido estava escondido em galinheiros.
15 de Março de 2006 às 00:00
Praticante de tiro tinha arsenal nos galinheiros
Praticante de tiro tinha arsenal nos galinheiros FOTO: d.r.
Os primeiros indícios de armazenamento ilícito do armamento no interior da moradia do indivíduo, no Pinhal das Formas, Quinta do Anjo, concelho de Palmela, surgiram em Dezembro de 2005.
Apesar de saber que o suspeito era praticante federado de tiro, e consequentemente portador de licença de uso e porte de armas de calibres interditos a civis, a GNR começou a investigar a possibilidade de o indivíduo ter em casa armas de uso militar.
Após alguns meses de ‘trabalho de campo’, os militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR de Setúbal deslocaram-se, ao raiar da manhã de ontem, à moradia do empresário. E as suspeitas confirmaram-se, “em excesso”.
No interior da casa foram encontrados diversos tipos de armas. “Quatro espingardas caçadeiras, cinco carabinas, uma das quais automática, três revólveres, dez pistolas de defesa pessoal, competição e paint-ball’.” Foi este o resumo feito ao CM por uma fonte da GNR.
As buscas estenderam-se à zona em redor da moradia. Aqui, até nos galinheiros os militares da GNR conseguiram efectuar mais descobertas. “Caixas com um total de 6454 munições de diversos calibres foram encontradas, dispostas de diversas formas no interior dos galinheiros”, acrescentou a mesma fonte.
Ao arsenal de armas de fogo e munições juntaram-se vários acessórios de adaptação às armas apreendidas (silenciadores, miras telescópicas, aparelhos de pontaria de visão nocturna, sistemas de pontaria laser e outros) e ainda armas brancas, fisgas, aparelho de choques eléctricos e soqueiras.
Uma vez que não tinha as licenças necessárias para o uso de grande parte das armas, o indivíduo foi de imediato detido.
Presente ao Tribunal de Setúbal, o suspeito saiu em liberdade mediante o pagamento de uma caução de 2500 euros. Constituído arguido, foi ainda obrigado a apresentações trissemanais ao posto da GNR de Palmela. As investigações prosseguem.
Ver comentários
}