Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Mudanças calam ameaças de morte

As ameaças de morte feitas telefonicamente para o administrador do Hospital de Santa Maria (em Lisboa), Adalberto Fernandes, seus familiares e outros responsáveis hospitalares, situação denunciada no início do ano pelo ministro da Saúde, Correia de Campos, cessaram quando se procederam as transferências internas.
8 de Março de 2006 às 00:00
O administrador Adalberto Fernandes admite ao CM, à saída da audiência na Comissão Parlamentar de Saúde, que foram algumas dezenas de funcionários sujeitos a rotatividade interna depois de terem sido detectadas situações irregulares, como roubos de medicamentos e material diverso. “Terão sido 20 ou 30 funcionários que foram colocados noutros serviços, incluindo uns quatro trabalhadores que estavam no aprovisionamento.” O silêncio das ameaças levou-o a dispensar a segurança policial.
POUPANÇA DE 53 MILHÕES
Aos deputados da Assembleia da República, aquele responsável revelou ainda que a concretização do Plano Estratégico vai permitir uma poupança de 53 milhões de euros por ano, dentro de dois anos.
Como? Através da centralização dos blocos operatórios e das unidades de cuidados intensivos, gestão integrada de ‘stocks’ de medicamentos e aprovisionamento, implementação do sistema de receita electrónica e ainda a realização interna de meios complementares de diagnóstico.
Para já houve cortes no orçamento anual, baixando de 360 milhões, em 2005, para 348 milhões, em 2006 (dados provisórios).
Ver comentários
}