Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

J. Rentes de Carvalho

A sina da fantasia

Há alturas em que o remédio é deitar mão da fantasia, mas de modo a que o leitor, apanhado de surpresa, se sinta confuso.

J. Rentes de Carvalho 1 de Agosto de 2021 às 00:30
Porque seria dolorosa a inconfidência, há alturas em que o remédio é deitar mão da fantasia, mas de modo a que o leitor, apanhado de surpresa, se sinta confuso, tenha dificuldade em decidir qual a percentagem de invenção, e em que partes o relato soa genuíno.

Mentira é mentira, mas para a pessoa que sou, a quem coube a sina de viver da fantasia, é muitas vezes penosa, e faca de dois gumes, a confissão de que em certas situações a melhor maneira de criar veracidade é a do exagero, fazer com que o verbo mentir ganhe qualidades que a verdade não possui.



artes cultura e entretenimento política desporto
Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas