Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Irão duvida que negociações nucleares fiquem concluídas na ronda em curso

Irão e as delegações dos cinco países que permanecem no acordo iniciaram uma nova etapa de negociações no início de abril, da qual os EUA participam indiretamente.
Lusa 31 de Maio de 2021 às 17:27
Bandeira do Irão
Bandeira do Irão FOTO: Reuters
O principal negociador e vice-ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Abas Araqchí, mostrou hoje dúvidas de que seja possível chegar a uma conclusão na atual ronda de negociações sobre o acordo nuclear.

"Continuaremos a trabalhar nos próximos dois ou três dias. Mas, pessoalmente, não tenho a certeza de que as negociações terminem nesta ronda", disse Araqchí à televisão estatal iraniana, referindo-se à quinta ronda de negociações em curso em Viena.

O negociador iraniano explicou que "é possível que as delegações tenham que regressar aos seus países para novas consultas", embora "ainda não tenha sido tomada uma decisão final" sobre o assunto.

A quinta ronda de negociações para salvar o acordo nuclear de 2015 com o Irão começou na semana passada e espera-se que seja a última,já que se está a tentar encontrar condições para o regresso dos Estados Unidos aos membros, depois do abandono unilateral ordenado pelo ex-Presidente Donald Trump, em 2018.

"As negociações são muito complexas e chegámos aos principais pontos de disputa. Acreditamos que já avançámos muito", salientou Araqchí, explicando que as conversações estão no ponto em que "as divergências evidentes" estão a ser analisadas.

O Irão e as delegações dos cinco países que permanecem no acordo - Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha - iniciaram uma nova etapa de negociações no início de abril, da qual os EUA participam indiretamente.

Hoje, a delegação iraniana chefiada por Araqchí manteve um encontro com os representantes da Rússia e da China e outro com representantes dos três países europeus.

O acordo nuclear limita o programa atómico iraniano em troca do levantamento das sanções económicas, para impedir que a República Islâmica possa produzir bombas nucleares.

Os EUA, sob a nova presidência democrata de Joe Biden, querem regressar ao pacto, mas exigem que o Irão comece por cumprir as suas obrigações nucleares, enquanto Teerão pede a eliminação das sanções sem quaisquer condições.

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Said Jatibzadeh, garantiu hoje que "não houve impasse nas negociações" e que "avanços significativos" foram conseguidos até agora, quando se discutem os "pontos-chave".

Ver comentários
}