Barra Cofina

Correio da Manhã

Domingo
8

Filipe Pinto: “Não basta ter talento”

Foi o grande vencedor da terceira edição do concurso ‘Ídolos', em 2010, que lhe deu uma bolsa para estudar música em Londres. Lançou um disco a solo e tem agora um novo álbum de música para crianças
22 de Dezembro de 2013 às 10:35
Filipe Pinto, músico, teste americano, cerne, o planeta limpo do filipe pinto, ídolos
Filipe Pinto, músico, teste americano, cerne, o planeta limpo do filipe pinto, ídolos FOTO: José Moreira

Nascido no porto a 3 de Julho de 1988, Filipe Miranda Cunha Pinto teve o ‘grunge’ de bandas como os Nirvana e os Pearl Jam como primeiras influências musicais. Aprendeu a tocar guitarra e foi com ela que se apresentou nas audições dos ‘Ídolos’, no Verão de 2009. Conquistou rapidamente os jurados e, depois, o público. Em 2012, lançou o primeiro álbum a solo, ‘Cerne’, e lança agora ‘O Planeta Limpo do Filipe Pinto’    

 

Quando chegou à audição do programa de talentos, Filipe Pinto desconcertou os jurados: “Só quero a vossa opinião, não quero ir a Lisboa”. Por pouco não acabou logo ali a participação no ‘Ídolos’, mas depois de tocar ‘Better Man’, dos Pearl Jam, e ‘Cavaleiro Andante’ de Rui Veloso, foi convencido a continuar no concurso. Derrubou a indecisão inicial e acabou por vencer o programa, que lhe abriu as portas para a carreira na música. O primeiro disco, ‘Cerne’, foi lançado em 2012 e ajudou-o a ganhar o prémio da MTV para ‘Best Portuguese Act’, atribuído há semanas pelo canal internacional de TV. Licenciado em Engenharia Florestal, lança agora um disco que inclui jogos e vídeos que pretendem sensibilizar as crianças para as questões do meio ambiente.

* A resposta escolhida surge a sublinhado. 

 

O que aconteceu àquele rapaz tímido e inseguro, que quando enfrentou o júri dos ‘Ídolos’ pela primeira vez disse que nem tinha a certeza se devia estar ali?

a) Cresceu e concluiu que a música é mesmo o sonho que quer perseguir.

b) Ainda sou tímido e nem sempre estou seguro do caminho a seguir.

c) Ainda bem que houve quem acreditasse no meu talento.

 

Quando ganhou o concurso de talentos ‘Ídolos’, ficou a pensar que…

a) Se abriram as portas para viver da música.

b) Foi uma surpresa tão grande que nem sabia o que pensar.

c) É só um primeiro passo de uma luta que ainda está no início.

d) Outra hipótese: A bolsa em Londres teria de ser aproveitada ao máximo.

O prémio levou-o a estudar música em Inglaterra durante vários meses. Aprendeu que…

a) Para vingar neste meio é preciso encarar as coisas com profissionalismo.

b) Não basta ter talento, é preciso trabalhar com os melhores.

c) Não há fórmulas mágicas para o sucesso, mas a experiência ajuda muito.

 

Venceu o prémio MTV para melhor músico português. E agora, que passos prevê para a sua carreira na música?

a) Quero tocar em todo o País e ser reconhecido pela diferença.

b) Prémios como este fazem-me sonhar com uma carreira lá fora.

c) Mais uma vez, não consigo explicar como isto foi acontecer.

 

Que banda ou artista portugueses gostaria de ver em palco a fazer versões das suas músicas?

a) Os grandes Xutos e Pontapés.

b) Os irreverentes Ornatos Violeta.

c) O desconcertante Pedro Abrunhosa.

d) Outra hipótese: Gostava muito de trabalhar em parceria em novos temas com todos eles.

Já depois de ganhar os Ídolos, completou o curso de Engenharia Florestal na Universidade de Trás-os- Montes. Quis acabar o curso porquê?

a) Não gosto de deixar as coisas a meio, mas agora só penso na música.

b) Nunca se sabe o futuro e gosto de ter um plano B.

c) Faço planos de um dia exercer uma profissão ligada à floresta.

É um caso de sucesso numa geração acossada pelo fantasma do desemprego. O que falta para as coisas mudarem?

a) É preciso que os jovens apostem em áreas em que o mercado de trabalho precise de gente.

b) O problema não é só o desemprego – quem trabalha começa por salários miseráveis.

c) Emigrar não é pecado e é até uma forma de nos tornarmos melhores profissionais.

d) Outra hipótese:  Procurar desenvolver competências, porque quantas mais soubermos, melhor será.

Que título de canção do seu álbum de estreia (‘Cerne’) poderia descrever o momento difícil que Portugal  vive neste momento?

a) Escolher Sentença.

b) Projecto Despedida.

c) Resto de Nada.

 

Que causa o levaria a juntar-se a uma manifestação de rua?

a) O saque fiscal em curso.

b) A falta de oportunidades para os jovens.

c) A falta de qualidade dos nossos líderes políticos.

 

Na canção ‘Insónia’ fala do seu monstro. Que defeito típico nos portugueses gostaria que o seu monstro devorasse?

a) A inveja e a maledicência.

b) O pessimismo como forma de estar na vida.

c) O medo de arriscar e de apostar naquilo em que se acredita.

d) Outra hipótese: A dormência da parceria, do trabalho mútuo...

Filipe Pinto músico teste americano cerne o planeta limpo do filipe pinto ídolos
Ver comentários
}