Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Pinto da Costa suspenso por 21 dias e multado em 612 euros

Por declarações do jogo com o Sp. Braga, da 1.ª mão das 'meias' Taça de Portugal
5 de Julho de 2021 às 12:51
Pinto da Costa é um  dos alvos da investigação do juiz Carlos Alexandre
Pinto da Costa é um dos alvos da investigação do juiz Carlos Alexandre FOTO: Direitos Reservados / FC Porto
Pinto da Costa foi suspenso por 21 dias e multado em 612 euros pelas declarações proferidas após o final da 1.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal de 2020/21. O presidente do FC Porto foi sancionado pelo Conselho de Disciplina da FPF na sequência de um processo disciplinar motivado por uma queixa da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF).

Após o embate, Pinto da Costa criticou duramente a arbitragem na sala de imprensa do Municipal de Braga. "Não é desta forma, como se tem vindo a acumular nestes últimos jogos em relação às arbitragens com o FC Porto, que nos vão vergar. São muitos falhanços, demasiados falhanços, para estarmos sempre a levar com este 4.º árbitro – com este VAR, perdão. O que se passou hoje vocês analisem! Analisem bem as jogadas que houve durante todo o encontro para ver a dualidade de critérios que houve! (...) Agora deixo aqui um aviso: basta! Serenidade total! Apelo à serenidade de todos, mas quero aqui dizer que basta e ninguém nos vai vergar!", referiu o dirigente.

De acordo com o acórdão da decisão, Pinto da Costa "adotou um tom notoriamente intimidatório e ameaçador, propalando que a 'paz no futebol' está dependente de não 'brincarem' e 'provocarem' a equipa e a sociedade anónima desportiva a que o arguido se encontra associado". "Tais expressões vão muito além da mera crítica à arbitragem ou à conduta ou decisões de qualquer órgão social da FPF, pois encerram não só um juízo difamatório e depreciativo, além de intimidatório, que viola a dignidade e a honra profissionais dos visados, mas também a seriedade, a ética, a credibilidade e a lisura da competição desportiva, pelo que tais declarações não se afiguram cobertas pelo exercício de qualquer direito, incluindo o exercício da liberdade de expressão", acresce o CD.

Na sua defesa, Pinto da Costa pugnou pela defesa da liberdade de expressão, elencando também as declarações de especialistas de arbitragem nos mais variados meios de comunicação sobre a partida para explanar o contexto no qual proferiu as ditas declarações.

A partida, arbitrada por Luís Godinho e que teve Hugo Miguel como VAR, ficou marcada pela expulsão de Luis Díaz, na sequência do lance protagonizado pelo colombiano com David Carmo do qual o central do Sp. Braga sofreu uma fratura do tornozelo direito. O FC Porto viu ainda Uribe ser expulso já em tempo de compensação num encontro que terminou empatado a um golo. Na 2.ª mão os arsenalistas garantiriam o bilhete para a final vencendo por 3-2 no Estádio do Dragão.
Ver comentários