Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Leão mata fome de golos e vence por 2-1 em Arouca

Matheus Nunes e Nuno Santos fizeram os golos de um triunfo muito difícil.
Mário Figueiredo e Rui Pando Gomes 3 de Outubro de 2021 às 01:30
Matheus Reis, que jogou a central, ganha o lance a Bukia
Matheus Reis, que jogou a central, ganha o lance a Bukia FOTO: Lusa
O Sporting saciou a fome de golos com um triunfo sobre o Arouca, por 2-1, beneficiando de um frango do guarda-redes Fernando Castro, num remate de Nuno Santos, para chegar à vitória.

Rúben Amorim mexeu na equipa. A defesa foi improvisada com Esgaio no trio de centrais, composto ainda por Coates e Matheus Reis. Nuno Santos jogou a lateral-esquerdo e no miolo Daniel Bragança assumiu o lugar de Matheus Nunes, que jogou a extremo-esquerdo. Ainda se debatiam as opções do técnico quando Matheus Nunes respondeu à questão com um golo. Numa jogada de envolvência de meia equipa, Sarabia assistiu o luso-brasileiro que na posição do ponta de lança fez o golo. O árbitro Rui Costa assinalou fora de jogo, mas o VAR confirmou a legalidade do lance por 27 centímetros.
Antes, já Paulinho tinha falhado um golo na cara do guarda-redes. Havia mais Sporting, mas o Arouca nunca abdicou de jogar no contra-ataque. Os seus jogadores caíram várias vezes no fora de jogo, mas causaram alguns calafrios aos leões.

No 2º tempo, os arouquenses fizeram jus ao contra-ataque venenoso. Arsénio, na sua área, recuperou uma bola num canto e lançou Bukia, que correu mais de meio campo até cruzar para o golo de Dabbagh. Os leões, desta vez, não tremeram: Nuno Santos desfez a igualdade com uma bomba à entrada da área, num lance em que o guarda-redes Fernando Castro tem culpas. Melhor do que a exibição da equipa de Amorim, foi mesmo o resultado.

Análise ao jogo
Positivo: Matheus Nunes
Matheus Nunes é um fora de série. Notabilizou-se a médio-ofensivo, o que lhe valeu a chamada à seleção portuguesa, mas este sábado jogou a extremo-esquerdo. Cumpriu com classe e até acabou por marcar um golo importante para a equipa.

Negativo: Paulinho nervoso
Paulinho tem ajudado a equipa e trabalhado muito, mas a ausência de golos tem afetado psicologicamente o avançado mais caro da história do Sporting. Desgasta-se em discussões estéreis e acaba por deixar uma imagem de ‘bad boy’.

Arbitragem: VAR evitou um erro grave
Só a preciosa ajuda do VAR evitou que o juiz Rui Costa cometesse um erro grave ao anular o golo a Matheus Nunes. O vídeo-árbitro confirmou que Matheus Nunes estava em jogo por... 27 centímetros. De resto, cumpriu.

Análise aos jogadores
Sarabia - Avançado espanhol foi sempre muito dinâmico durante o jogo, ofereceu o golo a Matheus Nunes e fez o passe para o segundo de Nuno Santos. Para além disso, ainda esteve perto de marcar em, pelo menos, duas ocasiões.
Adán – Esteve firme até sofrer o golo de Dabbagh.
Matheus Reis – Conseguiu dar segurança a Adán na entrada da grande área.
Coates – Resolveu na defesa com autoridade e ainda tentou marcar de bicicleta.
Ricardo Esgaio – Passou um pouco despercebido.
Daniel Bragança – Foi o maestro ao lado de Palhinha no centro do terreno e fez a transição para o ataque com grande visão e bons passes.
Palhinha – Esteve um pouco apagado em comparação com outros jogos.
Matheus Nunes – Jogou a extremo-esquerdo e cumpriu. Marcou o primeiro golo depois de bom entendimento com Sarabia e Paulinho.
Pedro Porro – Sempre agressivo no meio-campo e atento na defesa.
Nuno Santos – Fez um cruzamento que podia ter dado resultado e fez o segundo golo que deu a vitória.
Paulinho – Esteve na jogada do primeiro golo e ficou perto de marcar.
Luís Neto – Entrou na segunda parte para segurar o resultado e conseguiu.
Tiago Tomás – Agitou o ataque com bons movimentos.
Tabata – Entrou no meio da segunda parte, mas passou despercebido no campo.
Ugarte – Nada a registar.
Jovane – Ainda lançou Tiago Tomás em profundidade, mas sem sucesso.
Ver comentários
}