Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

FC Porto desmente investigações ao clube na Operação Cartão Vermelho

Dragões esclarecem também transferência de Éder Militão.
Correio da Manhã 15 de Julho de 2021 às 18:50
Estádio do Dragão
Estádio do Dragão
O FC Porto desmentiu em comunicado, emitido esta sexta-feira, que o clube tenha sido investigado no âmbito da operação cartão vermelho.

"Nunca a FC Porto SAD e o seu Conselho de Administração foram interpelados, ouvidos ou interrogados em qualquer tipo de inquérito ou diligência judicial sobre qualquer das duas matérias referidas, ambas devidamente documentadas com a transparência exigida", garante o clube.

Ainda, no esclarecimento, o FC Porto explica o negócio da transferência de èder Militão: "foi um negócio formalizado documentalmente - constando do respetivo dossier documental as intermediações contratadas -, registado nas instâncias desportivas internacionais, auditado por revisores externos e Conselho Fiscal e devidamente comunicado à CMVM".

"O negócio celebrado com a PT/ALTICE em 2015, que garantiu ao Grupo Futebol Clube do Porto uma receita de cerca de 457 milhões de euros em 10 anos, não tendo o Futebol Clube do Porto celebrado qualquer contrato de intermediação e/ou pago qualquer quantia a este título, foi também devidamente formalizado documentalmente, auditado pelos revisores externos e Conselho Fiscal e devidamente comunicado à CMVM", diz o clube sobre qualquer investigação a este assunto no âmbito da Operação Marquês.

Em causa está uma informação avançada pela revista SÁBADO que diz que a investigação da Operação Cartão Vermelho vai muito além dos negócios do presidente suspenso do Benfica, Luís Filipe Vieira. O Ministério Público (MP) e a Autoridade Tributária escutaram e vigiaram nos últimos anos Pinto da Costa, Fernando Gomes e o empresário Pedro Pinho. A revelação é feita esta quinta-feira pela revista
 Sábado.
FC Porto SAD CMVM Conselho Fiscal Grupo Futebol Clube do Porto desporto futebol
Ver comentários